Regresso às corridas

Dez meses depois, fiz uma corrida após tratamento da minha "amiga" de alguams dezenas de anos, a  HD.

Uma corrida solidária de perto de 6 km, integrada nas comemorações do 100º aniversário da AAFDL (Associação Académiac da Faculdade de Direito de Lisboa), organizada pelo nosso estimado Jorge Duarte Pinheiro, ilustre Diretor da FDL, com o atrativo adicional de o Claudio Monteiro ter entrado, neste dia, num dos meus meua "clubes"  o dos 50as. Deviamos ser a equipa mais representada nesta corrida :). No final, bolo de chocolat2, aliás 2, e os parabéns cantados, a muitas vozes, para o Claudio.

Correu muito bem com um pouco de chuva, boa para referescar, num ritmo calmo um pouco inferior a 7 min./km (ehehehehh...). No final ainda deu para apanhar o David Duarte com un "qulitos" a mais, mas já não consegui chegar perto da Helena Telino, em boa forma, que no final contou com o apoio do Jorge.

A próxima corrida será a S. Silvestre de Lisboa, em 27 de Dezembro,na qual pela 1ª vez, temos inscrita a família completa, eu a Luísa, o Francisco e a Margarida.

Seria giro termos uma grande representação Run 4 Fun. Nunca tivemos 100 companheira(o)s na mesma corrida. Já estivemos perto, 92, ma meia da 25 de Abril em 2013. Vamos lá conseguir chegar aos 100 para sermos, talvez, a maior equipa na corrida.

Runabraços e "postem" notícias aqui no nosso sítio

PS

Havia muitos fotógrafos na corrida, com belas máquinas. Espero que o Jorge coloque nos nossos grupos, algumas para vermos.


UMA nao terminada.

UMA história, uma tentativa, uma desistência.

Uma missao incompleta, é um facto. Mas a mesma alegria.

E a vida torna-se simples quando mais me conheço. Ser surpreendido é bom. Seja pelo lado positivo como pelo outro.

O outro sou eu, desconhecido, só assim me surpreende.

Em nenhum momento pensei que nao conseguisse terminar esta prova, este desafio. A UMA (Ultra Maratona Atlantica).

Encarei as dificuldades da prova e cedo comecei a fazer treinos para estar a altura.

Porque sempre preciso de muita agua, e nao tenho a caratristica do camelo, o principal treino que fiz, foi em muitos treinos, beber o minimo de agua possivel.

Varias vezes consegui fazer 20km sem beber agua.

Assumia cada prova aos fins de semana para encarar como um treino para a UMA.

Nao descurei muito na alimentaçao e hidrataçao.

UMAs mazelas nos jogos de futbol pidiam por em causa a participaçao. Mas fui controlando.

No dia da prova estava com power. O jantar na noite anterior foi excelente. Em ambiente e companhia. Dormi bem.

Antes da partida, a representaçao laranjinha muito animada.

Antes da partida a representaçao laranjinha estava confiante.

Eu estava confiante.

A areia nos primeiros kms tratou de me por no sitio.

10km e senti logo que ia ser duro. O Miguel Sampayo e o Carlos Melo arrancaram fortes. Eu fiquei a testar variaveis.

Desisti pelos 30km. Estava cansado das pernas, e refilao por nao ter agua suficiente para fazer 15km. Sabia que era esse o regulamento da prova. 1L de agua aos 28km.

A linha que separa o esforço e o prazer foi quebrada.

A Carla Rebelo, dizia... Eu sem ti nao vou.

Incrivel como a Carla estava bem ao km 30. Para nao perder ritmo, saltitava.

E eu disse eu nao corro mais ate ao fim. Vai.

Ver a Carla arrancar cheia de power, e ao longe ver a laranjinha passar por tudo e todos, foi a minha alegria. O meu Fun, o momento pelo qual fui empurrado para essa prova.

A vida tem destas coisas...

A ver Lisboa de Monsanto

Fui um dos que deixei de escrever, larguei mesmo o meu blog, umas vezes por falta de tempo outras por falta de paciência...mas há posts que vale a pena partilhar. Quando participava nos treinos temáticos do José Bagina (e que falta eles fazem) conheci o Paulo Lapão, e o seu blog que podem ver aqui. No meio de muitos percursos que ele tem estudados, descobri um pelos miradouros de Monsanto, que para além de ser um sítio diferente de onde habitualmente corro, passaria no Restaurante Panorâmico que já andava para visitar há uns tempos...a seguir conto a aventura mas se quiserem dados mais específicos visitem o post original do blog aqui.

De manhã lá me juntei ao meu pai e fomos para o ponto inicial, o parque de estacionamento do bairro do calhau.

Nem 400 metros depois e damos por nós no primeiro ponto de paragem, o Miradouro do Moinho das Três Cruzes. Algumas fotos depois e seguimos caminho.

Cerca de 1,2 kms depois, já dentro do parque da Serafina, damos com o 2º miradouro, e como o treino era para aproveitar, mais uma paragem mais umas fotos.

Aqui começou o percurso mais longo entre miradouro, cerca de 2,7 kms em que pelo menos 2 são a subir. Mas valeu a pena, porque finalmente ia chegar o ponto que tinha sido o primeiro objectivo da viagem.

O abandonado Restaurante Panorâmico de Monsanto...para muitos a melhor vista de Lisboa. E está fechado e abandonado....aqui lá fizemos o que é proibido...INVASÃO. Esta contra ordenação, valeu a pena. Ok que é proibido, mas é muito ridículo que este espectáculo não esteja disponível para todos. Pena também que alguns invasores, não vão só aproveitar as vistas como destruir tudo. Deixo umas fotos para apreciarem, aconselho vivamente a que cometam este crime, e aconselho ainda mais o último andar, onde além da vista temos um painel de azulejos a explicar o que vemos.

Pronto já chega....se quiserem ver mais vão lá que vale a pena. Nós ao fim de mais de meia hora lá decidimos seguir caminho, e garanto que havia mais para ver. 2 Kms depois chegamos ao Miradouro Keil do Amaral

Este miradouro tem a particularidade de uma parte já não ter vista, devido às muitas árvores. Mas num segundo ponto lateral, voltamos a ter uma vista deslumbrante.

Deste miradouro, passamos perto do anfiteatro com o mesmo nome, e também com boa vista, e quase nem recomeçamos a correr quando 600m depois damos com isto...

O miradouro do moinho do penedo, que fica pouco acima dum anfiteatro, numa zona com campos de basket.

700m depois, esta já é do Jardim dos Montes Claros, que também tem o seu respectivo miradouro. Uma voltinha ao jardim, e achei curioso que em vários treinos já tinha aqui passado mas nunca tinha ido às partes laterais onde fica então o miradouro. Fica também o registo do último ponto de água que vimos. Depois outra vez um percurso maiorzinho de 2,6 kms, mas que não se torna enfadonho porque paisagem é o que não falta em Monsanto.

É então que damos com o Miradouro dos Moinhos do Mocho. Chamar miradouro é relativo, porque com o passar dos anos o mato e arvoredo fechou as vistas, e a zona está também em estado de degradação. Por isso a paragem foi pequena, só para nos orientarmos para a próxima paragem que chega logo 200 e pouco metros depois.

8º miradouro...último ponto de paragem...o Miradouro da Luneta dos Quartéis.

A finalizar fomos brindados com mais uma excelente vista, e com a confirmação de que tínhamos feito um excelente percurso. Posso mesmo dizer que para mim foi o melhor percurso que já fiz em Lisboa e daí estar a partilhar.

Daqui até ao fim são menos de 4 kms, entre estrada e caminhos de terra batida, com uma pequena diferença em relação ao percurso original porque só com um mapinha, orientámos-nos como podíamos.

Aconselho vivamente a fazerem este percurso, eu pelo menos vou repetir. E a razão do post alongado (e desculpem se não gostaram) é a de informar que vou tentar organizar um treino para este percurso para aproveitarmos todos, e com comezaina no final claro. Boas corridas e vemos-nos por ai